Ferme tes yeux

Postado por Taiane Maria Bonita , domingo, 14 de junho de 2009 14:01

Ela serrou as pálpebras na tentativa inútil de esquecer o que havia se passado, virou o corpo de lado e apertou o travesseiro, o cheiro dele ainda estava ali. Ela apertou ainda mais os olhos, como se esse ato fosse capaz de apagar a imagem que já tinha ficado gravada na sua retina e registrada em sua memória.


Os cabelos ainda molhados manchavam o amarelo da fronha, o que disfarçava as lágrimas que começavam lhe escorrer pela face. A lágrima e a água ganhavam a mesma tonalidade no tecido que as recebiam, ali não podiam ser diferenciadas. O cheiro do café que ela antes sorvera com lábios suaves de amante, agora se misturava com o cheiro do perfume que o corpo dele deixou. O café e o perfume, juntos tinham cheiro de saudade. E a saudade apertava o peito dela, uma saudade de não se sabe o quê, que vem de não se sabe onde. Uma saudade de um tempo que não passou, já que ela ainda ouvia o som da porta que há pouco ele fechara.


Cabelos molhados, mistura de café e perfume em suas narinas, ela respirou fundo e sentiu pela derradeira vez o calor que a mão dele tinha deixado em seu ventre, ouviu a porta de fora bater e secou a lágrima que escorria pela ponta de seu nariz.



Baseado na historieta “open your eyes” em “do lado de dentro” http://hellenrios.blogspot.com/2009/03/open-your-eyes_21.html

4 Response to "Ferme tes yeux"

hellen Says:

fico lisonjeada! o sutil toque de sinestesia... além do momento bem descrito que remete!
fala muito de você! ^^


'...pela ponta de seu nariz.'

Marcos Lopes Says:

...um paradoxo imaginario...
" Uma saudade de um tempo que não passou..."

Muitas vezes idealizamos algo que vai alem de de nossas proprias vontades, quem sabe ate msm alem do nosso real destino...
É linda, sureal a forma q como vc consegue exprimir em palavras sentimentos tão fortes...

Anônimo Says:

vc q escreve todos os textos q tao aqui?? mto legais, tai, adorei esse ultimo tb. e o fitas ao vento, faz tempo hehehe :D
bjoca
ah nao é anonimo, é a mayara!!!
bise

Luciana Bonetti Says:

Adorei, sinceramente, já tinha lido o da Hellen, o que me fez seguir uma linha cronológica, infelizmente, me identifico mais com os sentimentos exprimidos nesta sua versão. Mas a felicidade já passada que amargamos num fatídico presente pode fazer visita num futuro, viva o louco anacronismo das emoções, as inconstâncias do ser!!

Postar um comentário

XD!